Conheça nossa história

 

 

A Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) entidade filantrópica, sem fins lucrativos, ligada à Congregação da Santa Catarina V. M. há mais de 100 anos radicada no Brasil, tem por finalidade prestar assistência nas áreas da Saúde, Educação e Assistência Social. É uma rede social a serviço da Vida e suas 34 Casas formam uma Obra Social de atuação na Assistência Social no mais amplo sentido, não apenas para atender as obrigações legais, mas principalmente para o acolhimento daqueles que utilizam os serviços de saúde, os colégios, as creches ou dos serviços e projetos voltados às pessoas em vulnerabilidade e risco social.

Sempre sensível às necessidades da população, aceitou, a partir de 1998, um novo desafio que foi a parceria com o Poder Público Municipal, colocando à disposição do mesmo sua reconhecida experiência nas áreas Administrativa e da Saúde, no desenvolvimento e implantação do Programa Saúde da Família – PSF.

É com este mesmo objetivo de trabalho, espírito de liderança e crença nos resultados, que a Associação atua no contrato de gestão firmado com a Secretaria Municipal de Saúde, como Organização Social de Saúde desde janeiro de 2008, responsabilizando-se pelo gerenciamento e operacionalização de serviços de saúde da Zona Sul, em São Paulo.

Tal atuação tem proporcionado inúmeros benefícios para a região, não só no âmbito da saúde, mas também nas questões sociais e econômicas.
Atualmente, seu quadro de colaboradores é formado em sua maioria por moradores da região, contribuindo diretamente no aspecto socioeconômico, além do investimento continuado no desenvolvimento profissional desses colaboradores, por meio de ações de educação permanente.

A OS-Santa Catarina apoia o fortalecimento das estruturas existentes por meio do aprimoramento de seus processos e iniciativas inovadoras, as quais contribuíram para o desenvolvimento organizacional e melhoria de qualidade da assistência prestada ao paciente, impactando na rede assistencial de saúde nos seus diversos níveis de atenção à saúde, ressaltando a Atenção Básica, como a porta de entrada da população ao sistema de saúde, com ações de caráter individual, coletivo e preventivo.

 

SELO COMEMORATIVO DE 15 ANOS

 

 

 

 

IMAGENS

Acompanhe algumas imagens da OS - Santa Catarina


IDENTIDADE ORGANIZACIONAL

 

Missão ACSC

Perpetuar o legado de Madre Regina Protmann, mobilizando esforços para uma filantropia autossustentável nas áreas da saúde, educação e assistência social.


I - Missão OS-SANTA CATARINA

Comprometida com o legado de Madre Regina Protmann, a Missão da OS-Santa Catarina é transformar a realidade local de maneira sustentável, por meio da integralidade da atenção à saúde na rede do SUS e do estímulo ao desenvolvimento da cidadania.


II - Visão

Ser referência de entidade filantrópica no Brasil.


III - Valores

·  Tradição: História, Imagem e Valores da Congregação das Irmãs de Santa Catarina;

·  Humanização: Promoção do bem estar físico, mental, social e espiritual;

·  Credibilidade: Coerência entre o falar e o agir, com ética e justiça;

·  Respeito e dignidade: Na relação com os colaboradores, clientes e parceiros;

·  Empreendedorismo: Fazer acontecer com motivação e criatividade.


IV - Competência Essencial

Visão sistêmica, espírito inovador, trabalho em equipe, perseverança e crença nos resultados.


V - Negócio

Desenvolvimento da Cidadania.


VI - Slogan

OS-Santa Catarina: um novo modo de pensar e fazer saúde.

Conheça nossos Serviços

REDE DE ATENÇÃO BÁSICA

A Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrange a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação, a redução de danos e a manutenção da saúde, com o objetivo de desenvolver uma atenção integral que impacte na situação de saúde e autonomia das pessoas e nos determinantes e condicionantes de saúde das coletividades. É desenvolvida por meio do exercício de práticas de cuidado e gestão, democráticas e participativas, sob forma de trabalho em equipe, dirigidas à populações de territórios definidos, pelas quais assume a responsabilidade sanitária, considerando a dinamicidade existente no território em que vivem essas populações. Utiliza tecnologias de cuidado complexas e variadas que devem auxiliar no manejo das demandas e necessidades de saúde de maior frequência e relevância em seu território, observando critérios de risco, vulnerabilidade, resiliência e o imperativo ético de que toda demanda, necessidade de saúde ou sofrimento deve ser acolhida. (Política Nacional de Atenção Básica, MS 2012).

No território de Santo Amaro/ Cidade Ademar, a população adscrita é de 667.789 habitantes e para atendimento da Atenção Básica, contamos com:


UBS

UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE

A Estratégia Saúde da Família, um dos modelos de atenção básica implantado no município de São Paulo, caracteriza-se por ser uma das principais portas de entrada do sistema de saúde, tendo como alicerce a territorialização, a descentralização, a intersetorialidade, a equidade e a priorização de grupos populacionais com maior risco de adoecer. As atividades realizadas buscam a promoção, a prevenção, a recuperação, a reabilitação de doenças e agravos mais frequentes, bem como a manutenção da saúde da população assistida.

Entendida como um processo de reorientação do modelo assistencial, a Estratégia Saúde da Família é operacionalizada mediante a implantação de equipes multiprofissionais compostas por 01 médico generalista, 1 enfermeiro, 2 auxiliares de enfermagem e 5 agentes comunitários de saúde, podendo ser complementadas pela equipe de saúde bucal, composta por 1 cirurgião dentista, 1 auxiliar de saúde bucal e 1 técnico de saúde bucal, dependendo da modalidade. Cada equipe é responsável pela longitudinalidade, integralidade e vigilância integral à saúde da população de sua área.


NASF 

NÚCLEO DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA

São constituídos por equipes com profissionais de diferentes áreas de conhecimento, que devem atuar de maneira integrada apoiando os profissionais das Equipes de Saúde da Família, populações específicas e Academia da Saúde. Compartilhando as práticas e saberes em saúde nos territórios sob responsabilidade destas equipes, atuando diretamente no apoio matricial às mesmas. As Equipes NASF devem a partir das demandas identificadas no trabalho conjunto com as equipes e/ou Academia da Saúde, atuar de forma integrada à Rede de Atenção à Saúde e seus serviços. 


UBS TRADICIONAL

UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE MODELO TRADICIONAL  

Um dos modelos de atenção básica implantado no município de São Paulo, caracteriza-se por ser uma das principais portas de entrada do sistema de saúde, tendo como alicerce , a descentralização, a intersetorialidade, a equidade e a priorização de grupos populacionais com maior risco de adoecer. As atividades realizadas buscam a promoção, a prevenção, a recuperação, a reabilitação de doenças e agravos mais frequentes, bem como a manutenção da saúde da população assistida. Em relação à composição da equipe estes serviços contam com médicos das clínicas básicas (clínico geral, pediatra e ginecologista), equipe de enfermagem e de saúde bucal, todos desenvolvendo suas atividades individualmente a partir de planejamento estabelecido. Quanto ao modelo de vigilância à saúde, podemos afirmar que a mesma se dá através de metodologia baseada em estratégias pontuais (vigilância epidemiológica, gestão de casos complexos, acompanhamento do pré-natal, entre outras) e busca de assistência pelo usuário.


UBSI

UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE INTEGRAL COM ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA 

Trata-se de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) com as seguintes características: aberta aos problemas de saúde do seu território e à diversidade das condições de uso; com adscrição, mas sem proibição, incorporando e matriculando estudantes e trabalhadores também por local de atividade; que integra a atividade programática com o atendimento não agendado, rompendo a segmentação e fragmentação da situação da UBS com as AMA's; que atua na promoção da saúde de forma intersetorial e com a comunidade; que atende à pessoa de forma integral com porta aberta e resolutiva aos problemas de saúde, com ação multidisciplinar, que resolve a maioria dos problemas e que organiza as condições para coordenar a continuidade do cuidado com os outros pontos de atenção da rede, quando necessário. Este serviço conta com o Programa de Acompanhante de Idosos, o PAI,  que é uma modalidade de cuidado domiciliar biopsicossocial a pessoas idosas em situação de fragilidade clínica e vulnerabilidade social, que disponibiliza a prestação de serviços de profissionais de saúde e acompanhante de idosos para o apoio e suporte nas atividades de vida diária e para suprir outras necessidades de saúde e sociais.


AMA

ASSISTÊNCIA MÉDICA AMBULATORIAL

As unidades de Assistência Médica Ambulatorial (AMA) localizam-se nas proximidades das Unidades Básicas de Saúde e destinam-se ao pronto atendimento em clínica médica e pediátrica dos usuários com quadros agudos de baixa e média complexidade, cujo atendimento é realizado de acordo com a classificação do risco de morte. O trabalho executado nas AMAs garante a continuidade das atividades de promoção, prevenção e assistência à saúde das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Embora o alvo do atendimento sejam os casos de baixa e média complexidade, tais unidades estão equipadas para dar o primeiro atendimento para casos mais complexos, bem como resolver localmente a grande maioria das demandas. Esta resolubilidade promove a fidelização do usuário a seu território e diminui o congestionamento dos Prontos Socorros de referência.


AD

UNIDADE DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

Constitui uma modalidade de atenção à saúde, substitutiva ou complementar às já existentes, oferecidas no domicílio e caracterizadas por um conjunto de ações de promoção à saúde, prevenção e tratamento de doenças e reabilitação, com garantia da continuidade do cuidado e integrada às Redes de Atenção à Saúde. O Serviço de Atenção Domiciliar é substitutivo ou complementar à internação hospitalar ou ao atendimento ambulatorial, responsável pelo gerenciamento e operacionalização das Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar (EMAD) e Equipes Multiprofissionais de Apoio (EMAP).


REDE DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA

A Atenção Especializada compreende um conjunto de ações e serviços de saúde realizada em ambiente ambulatorial que incorporam a utilização de equipamentos médico-hospitalares e profissionais especializados para a produção do cuidado em média complexidade.

Prestam atendimento em especialidades (médicas e não médicas), com ênfase nas necessidades da população, a partir de referência dos serviços de Atenção Básica e ocasionalmente da rede hospitalar.

Compõe, em conjunto com as demais unidades da rede, os arranjos organizativos das ações e serviços de saúde, de diferentes densidades tecnológicas, que integradas por meio de sistemas de apoio técnico, logístico e de gestão, buscam garantir a integralidade do cuidado.

Compõem a rede de Atenção Especializada os seguintes serviços:


AE

AMBULATÓRIO DE ESPECIALIDADES

Tem como característica a realização de atendimentos médicos em especialidades focais e específicas (ao contrário das especialidades básicas), definidas de acordo com a necessidade de cada território, com agendamento regulado, suporte para as decisões clínicas e foco na resolubilidade. Deve fazer parte integrante e ativa da rede de atenção à saúde de uma região, tendo papel importante no cuidado de um indivíduo e de uma comunidade.


CER 

CENTRO ESPECIALIZADO EM REABILITAÇÃO

Serviço com equipe multiprofissional com o objetivo de ser referência no território para o atendimento em reabilitação, com especial atenção para pessoas com deficiência. O CER é referência para as reabilitações físicas, intelectuais e visual. As principais ações desenvolvidas são: reabilitação, prevenção de deficiências secundárias, orientação familiar, prescrição, acompanhamento e agendamento/fornecimento de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção.


URSI 

UNIDADE DE REFERÊNCIA À SAÚDE DO IDOSO

É uma unidade especializada para atender ao idoso na sua área de abrangência. Ela se insere no nível secundário da atenção à saúde, oferecendo atendimento pela equipe multiprofissional, em âmbito individual e coletivo, dentro de uma visão integral. A equipe multiprofissional constitui o Núcleo de Atenção Integral à Saúde do Idoso, que, além de desenvolver ações de assistência a doenças de maior complexidade e a problemas de saúde específicos da população idosa, deve desenvolver ações preventivas e de promoção e proteção à saúde, atividades de treinamento e capacitação de profissionais da atenção básica e pesquisas específicas na área da gerontologia, tendo como principal papel a implementação das políticas públicas de saúde, em especial as políticas específicas para a população idosa.


CEO

CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS

É uma unidade que propicia a continuidade do cuidado em saúde bucal realizado pela rede de Atenção Básica. Os dentistas da atenção básica são responsáveis pelo primeiro atendimento ao paciente, realizando o encaminhamento ao Centro de Especialidade somente para os casos que exijam maior complexidade. Este serviço oferece as seguintes especialidades odontológicas: semiologia, periodontia, cirurgia oral menor, endodontia, prótese e ortodontia.


CAPS

CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

É uma unidade de base territorial, responsável por apoiar e otimizar as ações de saúde mental do território, além de assistir a demanda de pacientes mais graves do território e ajudar a rede a monitorar as necessidades e cuidado continuado aos pacientes mais crônicos e em maior vulnerabilidade. Nesse sentido, oferece cuidado multiprofissional e ações de reabilitação psicossocial, visando autonomia e independência, (re)inserção social pelo acesso ao trabalho, lazer, cultura, exercício dos direitos civis, fortalecimento dos laços familiares e comunitários.